Feeds:
Posts
Comentários

BrNTM: 2×02 e 03

Hora para um combo dos dois últimos episódios do Brazil’s Next Top Model! Normalmente, eu faria um post separado para cada episódio, mas como eles transmitiram quase a mesma coisa, melhor comentar sobre os dois em uma única postagem!

Acho que é uma unanimidade dizer que esse segundo ciclo está bem melhor que a temporada passada! As meninas são mais modelesques, o júri é melhor, a casa, os depoimentos (veja que todos são ambientados em um cenário cheio de cróquis e recortes de tecidos), a chamada está na ordem da melhor para a pior, a sala do júri, Fernanda Motta melhorou, o photoshop existe… O maior problema é mesmo na execução das fotos. Nessas duas últimas semanas, nós tivemos temas interessantes (filmes de terror e casais sexy numa borracharia), mas a produção de ambos photoshoots foram muito fracos. Pra completar, eles ainda continuam escolhendo fotos terríveis dizendo que são as melhores… Alguém ainda cai nessa?

Felizmente, eu ainda tenho esperanças de que tudo vá melhorar, afinal essa é apenas a terceira semana do programa e de agora em diante eles devem começar a escolher boas fotos das participantes. E só de ver que o programa melhorou também é um alívio. Pelo menos, a gente sabe que eles estão dispostos a melhorar o reality.

Acho que eu realmente estava certo quando disse que esse novo ciclo poderia ser bom. As duas barangas já caíram fora, os barracos continuam e o photoshoot foi bastante interessante. Acho que o único pesar do programa mesmo é o egocentrismo da Tyra Banks. Já achei estranho quando ela tinha mudado a abertura do programa e ter colocado a sua imagem totalmente como foco. Tá certo que ela é a criadora do reality, mas acho que tudo tem um limite, não? A gente já sabe que o ANTM é seu Tyra, não precisa ficar querendo esfregar na nossa cara.

Eu já comecei o episódio com uma certa dó da Hannah. Não acho que ela tenha sido racista nem preconceituosa. Acho que o problema dela é que ela é muito inocente e ignorante (no bom sentido). Inocente porque, como ela própria já tinha dito, ela vem do Alaska, um estado bastante conservador e isolado. Então ela não teria uma grande afinidade com pessoas de sexualidade ambígua, como a Elina, ou extremamente sensuais, como a Sheena, ou transexuais, como a Ísis, simplesmente porque não faz parte do mundo dela, não faz parte do repertório dela. Não é porque ela é preconceituosa, é porque isso não é comum a ela. E ignorante, porque acho que ela não percebeu que dizer que era a “mais branca” era ofensivo para as negras. Ela só quis usar como um argumento algo que ela conhece, que são os repertórios. Só que ela não percebeu o impacto que esses estereótipos têm e acabou se expressando mal. Eu realmente acho que ela tenha sido uma vítima e não tenha tido a uma má intenção.

Quanto ao photoshoot, bem interessante, mas um pouco exagerado aquele elogio todo para a foto de Lauren Brie (foto). É uma foto bonita, sem dúvida, mas um dos top 5 do programa? Com certeza, não. Muitas meninas foram bem e as que realmente foram pior ficaram no bottom two e felizmente saiu a mais barangona que nem teve a chance de tirar seu cabelo à lá Saleisha Ciclo 9. O que nos leva ao episódio da semana que vem, makeovers! Empolgados?

Se episódio passado eu já achava o pior de todo o programa, esse segundo capítulo da nova temporada realmente me fez mudar de idéia: esse sim é o pior. A maior utilização de clichês e previsibilidades por minuto quadrado. Ficou tão ruim que os roteiristas só podem estar em uma disputa bizarra para ver quem consegue ser o pior escritor da série.

Eu já comecei a hesitar quando Serena e Dan resolveram um tempo pra pensar logo depois de transarem e passarem a noite dormindo na praia. Então eles ficam juntos, mas decidem se separar para pensar na relação deles? O que é isso? Dawson’s Creek all over again… Chega! Vocês não são adolescentes tão verborrágico quanto os garotes de Cape Side. Então, não tentem porque não vai dar certo.

Mas o pior de tudo, foi ver a seqüência de momentos típicos de um casal flertando “sutilmente” um com outro. Tem espaço para tocar os dedos acidentalmente e se corarem de vergonha (Meu Deus, vocês acabaram de dormir juntos!), comer um morango com calda de chocolate de forma sedutora e ainda lamber os dedos, e por fim, levantar do seu assento e o ônibus sacolejar e cair no colo do seu querido. É muita originalidade pra uma série só!

Antes Gossip Girl era deliciosamente trash, mas agora ela é só trash. A cada episódio que passa ela só perde pontos. Só a Blair para salvar o dia com a sua ótima frase “foi só eu mostrar para ela quem eu sou que deu tudo certo”. Só espero que não estraguem a personagem dela também…

Finalmente estreou o programa que tanto esperávamos! E que surpresa, não? Parece que a Sony realmente ouviu nossos apelos e resolveu corrigí-los. Ainda é cedo para que qualquer elogio seja definitivo, mas os jurados parecem ser melhores que os da temporada passada, e Erika Palomino nem esperou para eleger a sua candidata feia da temporada (embora ela realmente seja feia). E Fernanda Motta também parece ter melhorado. Até conseguiu reservar alguns espaços para gracejos e conselhos para a menina que quis sair do programa (e que resistência a dela, hein? 9 minutos de exibição e ela já tá pedindo pra sair).

O “polêmico” photoshoot em que as modelos tiveram que posar com os seios a mostra também foi muito melhor que os do ano passado. Já dá pra ver que eles realmente escolheram as melhores de cada uma e, finalmente, podemos ver um tratamento melhor das imagens. Não chega a ser aquele photoshop exagerado da versão americana, mas é bom o suficiente para corrigir as imperfeições.

Sobre as candidatas, muitas surpresas! Algumas que eu não gostava à primeira vista já me chamaram bastante a atenção como a beleza exótica da Malana, o “charmoso” nariz da Priscilla e os olhos da Flávia Giussani. Tem também aquelas que eu já gostava e passei a gostar mais ainda, como a Alinne (minha favorita), Rebecca, Maíra e Élly. Já tenho meu top 4 formado! O que só prova o quanto esse casting é superior ao da temporada passada.

Vejamos como o programa se sai nas próximas semanas.

E começa mais uma temporada de America’s Next Top Model! Mais um ano desse nosso delicioso guilty pleasure! E que, aliás, voltou ainda mais trash do que nunca: atenção para os ótimos defeitos especiais. Raiozinhos de choque vindos diretamente de uma produção B, teletrasportes ridiculamente fakes e tudo o que o programa tem direito! Começamos bem esse ciclo…

Aliás, acho que começamos muito bem! Depois de um decepcionante ciclo 9 (que começou muito bem, mas foi piorando a medida que ocorriam diversas eliminações injustas) e um péssimo ciclo 10 (que já começou ruim desde o início e finalizou com a pior vencedora de todo o programa), não esperava muito dessa nova temporada, mas parece que eu estava redondamente enganado. O casting foi um dos melhores! Existem várias garotas que parecem ter futuro na competição como McKey, Sheena, Marjorie, Analeigh, garotas com uma ótima personalidade, como Hannah, Samantha, Josslyn, Elina (que ainda é bissexual, vegan e protetora dos animais, ou seja toda perfeita), e as candidatas polêmicas como a bitch Clark e a transexual Isis (que para minha surpresa ainda não fez a mudança de sexo). As duas piores tanto de personalidade quanto de talento “modelístico” acabaram ficando no bottom two o que já me faz esperar coisas muito boas.

Ainda não tenho uma preferida, como geralmente ocorre (apenas edição passada, em que eu fui claramente pró-Fatima), mas espero coisas boas de Elina, McKey e Marjorie.

Desde muito antes de suas filmagens 90210 já chamava atenção pelo seu histórico: spinn of do grande sucesso Barrados no Baile (ou Beverly Hills 90210, se preferir). Mas por mais atenção que o seriado pudesse gerar a verdade é que não se esperava muito do programa. Afinal de contas, a CW, o canal de origem do show, não é muito conhecido pelas suas produções de qualidade e muito menos por emplacar sucessos de audiência. Pouco se esperava de 90210 no fim das contas, mas a curiosidade acabou falando mais alto e o programa acabou sendo uma boa surpresa.

Não chega a ser a melhor série teen da atualidade. Foram só dois episódios, que funcionam apenas para estabelecer o terreno e as situações que o seriado irá desenvolver. Mas foi interessante já começar a perceber que os antigos personagens da série original já começaram a fazer sua aparição, Kelly já promete fazer bastantes aparições no programa, já que trabalha na escola, e Brenda também já deu as caras (vejamos se o seu comportamento nos bastidores a fará sair do programa mais uma vez).

Há alguns momentos bons e alguns ruins, mas no saldo geral 90210 é bastante satisfatória. Só resta saber se os outros episódios continuarão assim.

Depois de uma temporada regular, era esperado que Gossip Girl voltasse com tudo, não é mesmo? Até mesmo a campanha publicitária da série vinha apelando para cenas sensuais. Logo, o mais normal era que o episódio fosse no mínimo bom, certo? Errado! Muito errado. Gossip Girl já estréia com o pior episódio do programa.

Se você acompanhou a minha “cobertura” aqui no blog do primeiro ano vai perceber que eu até simpatizava com a série e de que ela tinha voltado com bons episódios depois da famigerada greve dos roteiristas. O problema foi nos dois episódios finais do seriado em que os roteiristas tentaram dar os nós nas algumas tramas do programa, mas acabaram errando tudo ao não fechar nenhuma história de forma decente, nem dar um gancho direito para cada uma delas.

Por isso, pensei que eles pudessem criar novas histórias nesse primeiro episódio para que isso se desenrolasse melhor no decorrer dessa temporada. Mas praticamente nada aconteceu. Por exemplo, Serena e Dan voltaram: que choque (a maior surpresa disso mesmo vai ser como os dois atores vão reagir se o rumor de que eles se separam vive rondando os bastidores da série). Pior do que isso só mesmo o twist do namorado da Blair seguindo uma linha meio Julia-Stiles-num-recente-filme-teen.

Esperemos pelo próximo episódio. Pelo menos, não tem como ser tão ruim quanto esse.